Quadros clínicos da depressão e combinações das inteligências de Gardner: um estudo correlacional

Diogo Fagundes Pereira, José Carlos da Silva Tavares

Resumo


Esta pesquisa objetivou conhecer quais tipos de inteligências são mais frequentes nos portadores de depressão e como estas variáveis (depressão e inteligências) se correlacionam. Também foi avaliada a frequência de sintomas depressivos em estudantes universitários. Trata-se de um estudo descritivo de procedimento correlacional, compreendendo 129 estudantes universitários do curso de psicologia, na faixa etária de 18 a 53 anos (masculino M= 22,68 e DP= 5,452 e feminino M= 23,80 e DP= 8,612) realizado em uma universidade no município de Petrópolis, Rio de Janeiro. Os dados foram coletados por um questionário sociodemografico e pelos inventários Beck Depression Inventory (Versão brasileira de 2001) e Inventário de inteligências Múltiplas (Versão brasileira de 2000), sendo submetida ao SPSS versão 18.0 onde foram realizadas as análises estatísticas, descritivas e correlacionais. Constatou-se que 48,1% da amostra apresentam sintomas depressivos e, sobre as correlações a única inteligência que exibiu significância estatística foi a musical. Espera-se que os resultados encontrados nessa pesquisa, possam aumentar as possibilidades diagnósticas em relação à depressão, visando minimizar os prejuízos dos indivíduos portadores desse transtorno.


Palavras-chave


Depressão; Inteligências Múltiplas; Correlação

Texto completo:

PDF

Apontamentos

  • Não há apontamentos.