ENTRE A PRIMAZIA DO CAPITAL E A PREPONDERÂNCIA DA CULTURA: A QUESTÃO DO IMPERIALISMO

Rafael H. Teixeira-da-Silva, Camila Benatti

Resumo


Pretende-se discorrer no presente trabalho a respeito das questões que estão em torno do imperialismo, pois, em um mundo em que o domínio e uso do capital assumem a primazia e que, se constata a erupção de inúmeros movimentos questionando as ações imperialistas, este tema apresenta-se, cada vez mais, como uma premissa a ser debatida. Para o desenvolvimento da reflexão, serão analisadas três abordagens a respeito do imperialismo, sendo duas voltadas a questão da centralidade do capital e do território, e outra voltada essencialmente à relação com a cultura. Após concretizar este corpo de doutrina, foram levantadas algumas indagações sobre como essas diferentes abordagens dialogam, se existe uma complementaridade entre elas e qual a importância da abordagem cultural do imperialismo. O debate é inaugurado com Lênin e sua teoria sobre a nova etapa do capitalismo. Em seguida são expostos os novos fundamentos imperialistas apresentados por David Harvey e, por fim, são acrescidas as contribuições da centralidade da relação entre cultura e imperialismo defendidas por Edward Said. Finalmente, defende-se que a dimensão cultural é um fator imprescindível para apreensão da complexidade dos elementos corolários ao imperialismo.

 


Palavras-chave


Imperialismo; Cultura; Território.

Texto completo:

PDF

Apontamentos

  • Não há apontamentos.