Regulação avaliativa da pós-graduação stricto sensu: Reflexões com base no poder disciplinar e na dominação ideológica

Robson Gomes André, Ana Paula Medeiros Bauer

Resumo


Este estudo é um ensaio teórico que surge diante das mudanças que ocorreram nas últimas décadas nas práticas e saberes acadêmicos promovidas por meio do sistema de avaliação implementado pela CAPES aos programas de pós-graduação stricto sensu. Visando contribuir com uma reflexão sobre a política de produção do conhecimento presente nas Instituições de Ensino Superior, o objetivo do estudo é refletir sobre a atual regulação avaliativa da pós-graduação stricto sensu sob a ótica do poder disciplinar de Foucault (1987) e dominação ideológica de Pagès et al. (1990). A fim de desenvolver esta análise, estruturou-se um referencial que aborda a regulação na pós-graduação stricto sensu e seus impactos na academia e o poder e a dominação ideológica na produção do saber científico. Por fim, busca-se perceber a relação da regulação com o exercício de poder e a dominação ideológica na academia. Concluiu-se que atualmente a lógica produtivista inserida pela regulação, exerce um poder disciplinar e uma dominação ideológica sobre os professores/pesquisadores, assim como é possível notar a presença da mediação no campo. Nesse aspecto, parece ser possível afirmar que o modelo de regulação dos programas inseriu na academia uma grande preocupação com a produção científica, que se assemelha a lógica industrial.

Palavras-chave


Produtivismo Acadêmico; Poder Disciplinar; Dominação Ideológica.

Texto completo:

PDF

Apontamentos

  • Não há apontamentos.