O Negro Baiano Pai Joãozinho da Goméia:

Joselina da Silva

Resumo


João Alves Torres Filho (Joãozinho da Goméa, Pai João, Táta Londirá, Seu João da Pedra Preta) tem constituído parte importante de diferentes estudos sobre a cultura e as religiões afro–brasileiras. Nascido em 1914, na Bahia, chega à Capital Federal em 1946. Estabeleceu-se na cidade de Duque de Caxias, região metropolitana da capital. Este texto se propõe a analisar a seção intitulada “Ao cair dos Búzios”, publicada diariamente no Jornal Diário Trabalhista, entre 1949 e 1951. Ali, eram respondidas, por ele, as cartas dos consulentes. O famoso baiano ajudou a remover aquelas manifestações de religiosidade da periferia social para a vida cultural da cidade. Contribuiu também com a difusão e solidificação das religiões de matriz africana. Esta é uma investigação em andamento, no âmbito do N’BLAC (Núcleo Brasileiro Americano e Caribenho de Estudos em Relações Raciais, Gênero e Movimentos Sociais) da Universidade Federal do Ceará, campos Cariri.

 

Texto completo:

PDF

Apontamentos

  • Não há apontamentos.