Antropologia da política: surgimento, possibilidades de análise e recursos metodológicos para o estudo do poder e da política

Mayara Silva Nascimento, Francisco Emanuel Silva Meneses Alves, Lídia de Oliveira Matos

Resumo


O presente artigo tem por objetivo oferecer um relato das principais contribuições da antropologia da política para o estudo da temática relacionada ao poder e a política. Destarte, utiliza-se como pergunta norteadora desta análise a seguinte: Como as ciências sociais têm tratado da temática do poder e da política em suas produções? Desse modo, realizou-se uma breve revisão de literatura que abordou os estudos que tratam das problemáticas que dizem respeito às dinâmicas, práticas, formas, concepções, processos e condições de poder e de política. Assim, o primeiro tópico do artigo consiste numa discussão sobre como as ciências sociais têm tratado dessa temática e como a antropologia incorporou-a em suas análises. A partir disso, podemos perceber que a investigação antropológica da política concentra-se não no isolamento de temas e fenômenos, mas sim no seu entrelaçamento, em suas relações com as demais dimensões de uma determinada sociedade. Já o segundo tópico diz respeito ao uso da etnografia como recurso metodológico importante para as análises sobre o poder e a política e, mais especificamente, para a análise das diferentes concepções de política. Como conclusão, o que se pode extrair dessa análise é que a antropologia da política configura-se como uma importante vertente de análise referente às configurações de poder e de política na medida em que auxilia na compreensão do sentido, da vivência, dos símbolos e do exercício da política, partindo da visão do próprio indivíduo.

Texto completo:

PDF

Apontamentos

  • Não há apontamentos.