Da resistência da escravidão no Brasil e seus correlatos: uma cultura da violência

Abel Camilo de Oliveira Lage Filho, Cecília Maria Viana Camilo de Oliveira

Resumo


Este trabalho se propôs a discutir a manutenção da escravidão no Brasil contemporâneo, como uma contrapartida da modernização em curso e também como o resultado de uma cultura escravagista em que a violência que lhe é inerente e correlata tornou-se um hábito legal e corriqueiro.  Foi realizada uma pesquisa bibliográfica qualitativa e a análise do processo da escravidão foi compreendida como um resultado do processo socioeconômico e cultural que se desenvolveu no período colonial e ainda persiste no país. A violência no Brasil como fundamento da relação de desigualdade e hierarquia possui a finalidade de imprimir a diferença com fins à dominação, na qual o sujeito é tratado como coisa. Desta forma a violência, uma barbárie que persiste se institui pelas relações de poder, quando se convertem os diferentes em desiguais e a desigualdade em uma relação entre superior e inferior. 


Texto completo:

PDF

Apontamentos

  • Não há apontamentos.