A FORMAÇÃO ARQUETÍPICA DOS PERSONAGENS DE DOSTOIÉVSKI

Glauber Rezende Jacob Willrich

Resumo


: A literatura é, em partes, feita de mitos e arquétipos. O crítico francês Gilbert Durand postula que os símbolos se transformam em palavras, e os arquétipos em ideias e que, desta maneira, o mito passa a ser um sistema dinâmico de símbolos que se transforma em narrativa. Neste sentido, então, este trabalho propõe analisar - de acordo com os postulados teóricos de Jung, Durand, Meletinski, Frye e Campbell - a formação arquetípica de alguns personagens de Dostoiévski - seja em algumas obras mais célebres como Crime e Castigo e Os Irmãos Karamazov, seja em obras menos conhecidas como O sonho do tio e a Aldeia de Stepantchikovo - na medida em que a atualização dos mitos antigos na literatura russa do século XIX – e particularmente na prosa dostoievskiana - constitui uma constante que merece ser avaliada com atenção; já que ela pode nos proporcionar olhares outros sobre a produção estético literária daquele período em questão e nos fazer refletir sobre os processos de produção literária consoantes à sua função na sociedade e a representação desta enquanto tal no plano ficcional.

Texto completo:

PDF

Apontamentos

  • Não há apontamentos.