A LITERATURA COMO UM EXERCÍCIO CRÍTICO: O AMANUENSE BELMIRO E A TRAGICIDADE DA INTELECTUALIDADE.

Bárbara DelRio Araújo

Resumo


Esse artigo pretende apresentar apontamentos de como a literatura pode promover a reflexão acerca das relações sociais e históricas mesmo diante de contextos atrofiadores e manipulados. Nesse aspecto, discutiremos sobre a função mimética dos escritos literários, que mesmo de modo inverossímil, camuflado ou individualizado, estabelece a vitória do realismo na representação, sendo perspicaz para o exercício da razão crítica. Isso é, o engajamento é uma característica pungente e se revela mesmo à espreita. Diante dos fundamentos materialistas executados por György Lukács, Theodor Adorno, Antonio Candido e Roberto Schwarz, analisaremos O Amanuense Belmiro, relegada inicialmente pela crítica literária por não promover a discussão social, em função da capacidade de configurar, na sua forma, a tragicidade da formação do estado democrático brasileiro e a construção da autocracia burguesa nacional na figuração representativa do intelectual e de sua escrita intimista.

Texto completo:

PDF

Apontamentos

  • Não há apontamentos.