FORMAÇÃO DE PROFESSORES: A NOÇÃO DE COMPETÊNCIA COMO PRINCÍPIO DA REESTRUTURAÇÃO CURRICULAR

Jurema Rosa Lopes, Eline das Flores Victer, Giselle Faur de Castro Catarino

Resumo


O objetivo do presente estudo é problematizar a noção de “competência” enquanto um princípio curricular presente na terceira versão do Parecer que trata das “Diretrizes Curriculares Nacionais e Base Nacional Comum para a Formação Inicial e Continuada de Professores da Educação Básica” na formação do professor. Para compreender o termo “competência”, buscamos apoio nas ideias de Schwartz (1998) e Machado (2002), entre outros. O campo empírico do estudo é uma Instituição de Ensino Superior, do âmbito privado, situada no Estado do Rio de Janeiro. O universo dos sujeitos do estudo é constituído por três professores/coordenadores de Licenciaturas. Os dados, coletados a partir de produção textual, tiveram como base a seguinte pergunta: O que é que você entende por currículo? Qual o seu sentimento em relação à reformulação curricular? Os resultados mostram que predomina entre os Professores/Coordenadores de Cursos de Licenciatura a ideia de currículo como uma relação de disciplina e que o currículo por competência, na visão dos sujeitos, amplia a concepção de formação do professor. Concluímos que a noção de competência expressa no Parecer, em processo de aprovação, descontextualizada, codificável e homogênea, tenta ajustar as pessoas às tarefas ou aos objetivos propostos, desconsiderando o grau de saberes, a história de cada situação de trabalho e os valores de cada coletivo de trabalho.


Texto completo:

PDF

Apontamentos

  • Não há apontamentos.