HOSPITAL ESPIRITUAL CASA DE HANSEN: A EXPERIÊNCIA DA DOENÇA EM PERSPECTIVA CULTURAL

Valquiria da Silva Barros

Resumo


A proposta deste artigo é refletir sobre a construção das noções de saúde e doença na contemporaneidade, a partir do diálogo entre a lógica biomédica e a perspectiva culturalista de análise. Esta discussão está alicerçada na premissa de que saberes e práticas de qualquer sistema médico são construções socioculturais que incluem valores, símbolos, normas e práticas e, antes de tudo, oferecem uma visão do mundo particular de um grupo. Partiu-se da compreensão do conceito de cultura de Geertz (2015) como um conjunto de elementos sobre os quais os atores sociais constroem significados para as ações e interações sociais concretas e temporais, assim como sustentam as formas sociais vigentes. Esses elementos mediam e qualificam qualquer atividade física ou mental que não seja determinada pela biologia, e que seja compartilhado por diferentes membros de um grupo social. Assim, considera-se que os aspectos culturais são instrumentos de acesso relevantes para a compreensão dos processos de adoecimento e de cura no contexto das terapias religiosas, tomando-se, dessa forma, os modos de adoecer-tratar como parte de um processo sociocultural, que ressalta a dimensão simbólica da saúde e da doença. Assim, para compreender os processos envolvidos na relação saúde-doença e os modos de curar não-biomédicos, na perspectiva religiosa, situada no viés das cirurgias espirituais mediúnicas, propõe-se uma reflexão alicerçada nos aspectos simbólicos inscritos na cultura. Busca-se suscitar a discussão da prática médica com um olhar para além daquilo que seja passível de mensuração, conforme postula a premissa cartesiana. Para tanto, faz-se necessário um diálogo que transcenda a especialidade e domínio hegemônico da biomedicina. Para abordar as questões relativas ao sistema terapêutico biomédico e os sentidos de doença segundo essa perspectiva, nos baseamos em Kleiman et al, 1978, Sarti, 2001 e Langdon, 2006. Para abordar o elo entre natureza e cultura que norteiam as compreensões sobre a relação saúde-doença, referenciamos Queiroz e Canesqui, 1986. A abordagem sobre as relações tecidas no âmbito social que relacionam saúde-cura na perspectiva religiosa foi feita com base em Laplantine, 1986; 1989; Montero, 1985 e Maluf, 2005.

PALAVRAS-CHAVE: cultura; sistema biomédico; saúde-doença


Texto completo:

PDF

Apontamentos

  • Não há apontamentos.