SERVIÇO SOCIAL, SAÚDE E QUALIDADE DE VIDA NO ÂMBITO DA ONCOLOGIA: uma intervenção sócio-educativa

Maria Janaina Azevedo, Marcela Araújo de Oliveira

Resumo


O presente trabalho monográfico aborda a questão da importância da qualidade de vida (QV) do portador de neoplasia maligna desde o diagnóstico até sua fase terminal, bem como sua inclusão ao meio social desenvolvendo sua cidadania, tendo ainda como intuito articular pressupostos da QV relacionada ao paciente com câncer e a necessidade de medidas de suporte ao cuidador, trabalhados em projeto de intervenção realizado na Liga Norte Riograndesse Contra o Câncer (LNRCC) mais especificamente no Centro Avançado de Oncologia (CECAN). Objetivou-se desenvolver atividades que proporcionassem realizar uma ação sócia educativa junto aos usuários em tratamento de radioterapia, bem como seus acompanhantes buscando estimular o conhecimento dos mesmos acerca de temas como, direitos sociais e qualidade de vida. Colaborando ainda, para que ocorresse uma maior integração da equipe multidisciplinar. A metodologia empregada foi realizada por meio de dois ciclos de palestras totalizando oito intervenções sendo no período de Agosto a Setembro do ano de 2006 e Outubro a Novembro do mesmo ano. Utilizou-se como método didático para a implementação, cartazes com ilustrações, distribuição de folder’s, cartilhas e dinâmicas de grupo. Diante dos resultados encontrados verificou-se que o sistema de saúde é muito excludente, não atendendo a grande demanda imposta e contradizendo princípios constitucionais como o de um acesso universal e igualitário às ações e serviços de promoção, proteção e recuperação da saúde. Percebeu-se que as dificuldades perpassadas a atuação do Serviço Social frente à demanda que busca por serviços, é observada também no panorama macro da organização, ou seja, as demandas que chegam ao Serviço Social vão muito além das questões relacionadas à doença, propriamente dita, porque perpassam pela resolução de problemas vivenciados no cotidiano dessas pessoas, tais como: a falta de recursos financeiros para a compra de medicamentos, para o transporte, ou até para a própria alimentação, dentre outras demandas. Nesse enfoque, concluiu-se que é imprescindível um conhecimento acerca das políticas públicas de saúde por parte do profissional do Serviço Social por proporcionar uma maior qualificação e um posicionamento mais efetivo no direcionamento de sua ação no âmbito Institucional.


Apontamentos

  • Não há apontamentos.