O SERVIÇO DE ATENDIMENTO ESPECIALIZADO PEDIÁTRICO - SAEP DO HOSPITAL INFANTIL ISMÉLIA DA SILVEIRA: um estudo sobre as possibilidades e os limites de atuação do Serviço Social neste espaço.

Thalyne Predosa aragão, Diego Augusto Rivas dos Santos, Daiane Barros Alves, Viviane Silva Real

Resumo


RESUMO

 

Esse estudo tem por objetivo analisar as possibilidades e os limites de atuação do Serviço Social no Serviço de Atendimento Especializado Pediátrico – SAEP, que se trata de um programa voltado para crianças que foram expostas ao HIV/AIDS, do Hospital Infantil Ismélia da Silveira, localizado no Município de Duque de Caxias. Para a apresentação deste estudo, foram realizadas uma pesquisa que se deu de forma exploratória, bibliográfica, documental, quali-quanti e uma entrevista com a Assistente Social do SAEP. Além disso, coletamos dados numéricos de crianças atendidas ingressantes no programa em 2018, o que nos proporcionou uma observação ampla do problema de pesquisa. Destacam-se, mediante os desafios para manter as crianças usuárias do SAEP em acompanhamento, as estratégias de intervenção para que essas crianças e seus familiares entendam a importância da aderência ao tratamento. A atuação profissional da Assistente Social é composta diariamente por desafios, lidando coerentemente com os princípios defendidos pelo Projeto Ético-Político Profissional, na medida em que visam a garantir a universalidade, a equidade da assistência, a acessibilidade e o respeito ao direito dos(as) usuários(as) dos serviços de saúde. trazemos aqui uma breve história da trajetória da política de saúde no Brasil, considerando sua importância nesta pesquisa: seu campo empírico corresponde a um equipamento que pertence a esta política. Retratamos a atuação do(a) Assistente Social na área da saúde desde o seu surgimento dentro desta política até a atualidade, suas práticas, de acordo com os Parâmetros para Atuação de Assistentes Sociais na Política de Saúde e Código de Ética, e ainda seu trabalho com a família e o combate ao estigma do preconceito. Abordamos a temática HIV/AIDS, trazendo uma reflexão a partir do seu surgimento no mundo e no Brasil com o objetivo de informar o leitor e desmistificar as polêmicas e eliminar preconceitos. Ressalta-se que as expressões da questão social foram aqui utilizadas como objeto de trabalho do Assistente Social e as políticas sociais como seus instrumentos de trabalho para viabilização do acesso aos direitos dos(as) usuários(as). Tendo em vista que o HIV/AIDS é um fenômeno mundial que atinge indiscriminadamente todas as classes sociais, evidenciamos que o mesmo envolve questões de ordem política, econômica e social. Nesse sentido, abordamos o tratamento e a importância da família no processo de aceitação da doença e adesão ao seu tratamento. Apresentamos o campo empírico com um olhar no SAEP e ressaltamos o perfil socioeconômico dos seus usuários, com a intenção de conhecer a população usuária e assim promover ações em seu proveito; traçar este perfil socioeconômico é fundamental para que possamos estabelecer metas e estratégias para melhoria dos problemas, permitindo, de certa forma, conhecer a realidade social destes usuários. Finalmente, abordamos os principais fatores que levaram as crianças a contraírem o vírus HIV, as principais expressões da questão social identificadas pela Assistente Social atuante no SAEP e a importância da família na sua concepção para que, assim, pudéssemos encerrar este trabalho com as possibilidades e limites enfrentados pela Assistente Social em sua atuação no SAEP e inventariar as estratégias para esta atuação;

 

 

Palavras-chave: Política de saúde - HIV/AIDS - Limites - Possibilidades - Serviço Social


Texto completo:

PDF

Apontamentos

  • Não há apontamentos.