ADOÇÃO TARDIA: um estudo acerca do tema na concepção da equipe técnica que atua na Associação Evangélica Projeto Criança Feliz.

Mike da Conceição Alves da Silva, Ana Paula Vitorio Marques, Diego Augusto Rivas dos Santos, Jandira Salimeni

Resumo


A pesquisa elaborada aborda um tema ainda com pouca visibilidade em nosso país, algo que precisa estar sempre em pauta, visando o bem-estar das crianças e adolescentes que vivem ou passam boa parte de suas vidas dentro de um abrigo, sem saber ao certo o referencial de família, bem como fazer parte de uma sociedade de forma ativa e dedicando assim sua trajetória em um novo olhar do que será sua vida cotidiana após uma adoção. A adoção tardia é algo ainda que engatinha como temática em nossa sociedade, sendo necessário sua abordagem de forma científica e que se faça presente através de projetos e de mesas de debate para que um maior número de crianças conquiste o direito de serem escolhidas para fazer parte de uma família. Nesta pesquisa demonstraremos os entraves que se encontram na nova Lei de Adoção e como a equipe técnica busca minimizar esses entraves através de suas ações de projetos e parcerias que visem o bem-estar da criança/adolescente, assim como também garantir a efetivação de seus direitos conforme rege o Estatuto da Criança e do Adolescente (ECA). Nesta monografia, realizamos uma pesquisa de caráter bibliográfica, dialogamos com a equipe técnica que atua na Associação Evangélica Projeto Criança Feliz, através da entrevista semi-estruturada, visando conhecer a realidade das crianças e adolescentes, e a atuação do profissional do Serviço Social mediante a estas emergências das expressões da questão social, em prol de uma sistematização da análise, utilizamos uma pesquisa documental referente às fichas cadastrais, onde contém todo o histórico das crianças e adolescentes dentro deste equipamento já supra citado acima, no que tange um aprofundamento sobre este campo empírico. Também será abordado o perfil que as famílias traçam para escolha dessas crianças e quando este perfil é bem restrito quais são os problemas que geram dentro dos abrigos e as dificuldades que surgem com esse perfil traçado. Buscamos também mostrar qual seria o ideal para que um maior número de crianças/adolescentes pudesse conquistar esse direito de serem adotados e assim fazerem parte de uma família e não de uma estatística ruim.

Texto completo:

PDF

Apontamentos

  • Não há apontamentos.