ALTERAÇÕES ANTROPOMÉTRICAS EM PORTADORES DE LESÕES CUTÂNEAS

Renata Rodrigues Silva, Luciana Mendonça de Arruda Valoes, Onislene Alves Evangelista de Almeida, Izabella Chrystina Rocha, Carlos Kusano Bucalen Ferrari

Resumo


Objetivos: estudar a frequência de possíveis alterações antropométricas em portadores de lesões cutâneas. Metodologia: A amostra foi constituída por 23 pacientes que residem na área urbana de abrangência das unidades da Estratégia de Saúde da Família (ESF) do município de Aragarças (GO). Foram avaliados o índice de massa corporal e a circunferência da cintura. Resultados: No que diz respeito ao IMC, a frequência de sobrepeso foi maior entre as mulheres (50%), sendo de 22,2% em relação aos homens. Considerando a circunferência da cintura, 81,8% das mulheres apresentaram-se na faixa de alto risco para doenças cardiometabólicas, enquanto que, valor que foi inferior nos homens (25%). Conclusão: neste estudo as mulheres portadoras de lesões crônicas apresentaram maior frequência de alterações antropométricas.


Texto completo:

PDF

Apontamentos

  • Não há apontamentos.