O USO DE PRESERVATIVO E A PREVENÇÃO DE DOENÇA SEXUALMENTE TRANSMISSÍVEL NA TERCEIRA IDADE

Letícia Vieira Santos da Silva, Samantha dos Santos Minervino, Andressa Aline Bernardo Bueno, Cintia Silva Fassarella

Resumo


Pesquisas mostram que vem aumentando a incidência de Doenças Sexualmente Transmissíveis (DST) na população idosa. O objetivo deste estudo é reconhecer o uso do preservativo no tocante à prevenção de DST em idosos participantes de um projeto social voltado para terceira idade. Trata-se de um estudo descritivo com abordagem qualitativa. Foi aplicado um questionário semi-estruturado em 55 idosos de um projeto social do Rio de Janeiro. Emergiram dos resultados quatro categorias, a saber: não possuir mais vida sexual ativa; utilização da camisinha para evitar DST; o desuso do preservativo por confiança no parceiro e receio em contrair DST. Percebe-se que alguns idosos são conservadores e mostraram de imediato certa apreensão ao assunto abordado. É necessário que a sexualidade seja discutida e estimulada dentro de uma prática segura e saudável, sem preconceito, proporcionando melhora na qualidade de vida dessa população, prolongando, consequentemente a vida sexual e social. Neste sentido, a resolutividade seria desenvolver um plano assistencial onde o profissional de saúde esteja disponível para identificar as condições e medidas preventivas aos clientes.


Texto completo:

PDF

Apontamentos

  • Não há apontamentos.