ASSOCIAÇÃO ENTRE ÁCIDO ÚRICO SÉRICO E PROTEÍNA C REATIVA EM PACIENTES HIPERTENSOS

Izalina Carla Oliveira do Nascimento, Ilka Kassandra Pereira Belfort, Sally Cristina Moutinho Monteiro

Resumo


Considerando a importância do estudo da associação do ácido úrico e proteína C reativa no auxílio ao diagnóstico e acompanhamento da hipertensão, tem-se buscado identificar a possível relação desses fatores no desenvolvimento e agravo à hipertensão. O objetivo deste estudo foi verificar a associação entre o ácido úrico sérico, pressão arterial e proteína C reativa em hipertensos cadastrados no SIS-HIPERDIA. Trata-se de uma pesquisa descritiva com amostragem aleatória simples realizada em uma Unidade de Estratégia de Saúde da Família de São Luís/MA. Participaram deste estudo usuários portadores de hipertensão arterial, não diabéticos acompanhados na Estratégia de Saúde da Família. Para análise das possíveis associações foi realizado o teste T de Student para as médias dos resultados. Foram entrevistados 50 pacientes (68% do sexo feminino e 32% do sexo masculino), onde 60% de indivíduos estavam com pressão arterial sem adequado controle, 52% apresentaram elevação do ácido úrico, 66% apesentaram PCRus elevada. As médias de PAS aumentaram quanto maiores foram os quartis de ácido úrico até o quartil 3, mas não apresentaram diferença estatisticamente significativa. As médias de PAD e proteína C reativa ultra-sensível se mantiveram relativamente estáveis quando da variação de quartil do ácido úrico. Não houve correlação estatisticamente significativa entre o ácido úrico e a pressão arterial sistólica, diastólica e proteína C reativa ultra-sensível. Assim, torna-se importante a realização de mais estudos que possam agregar diferentes fatores que possam ter envolvimento com a hipertensão e as doenças cardiovasculares, no intuito de melhorar a qualidade de vida do paciente hipertenso.


Texto completo:

PDF

Apontamentos

  • Não há apontamentos.