RELATO DE EXPERIÊNCIA: FATORES QUE INTERFEREM A NÃO ADESÃO À HIGIENIZAÇÃO DAS MÃOS.

Maria Fátima Costa, Joyce Muniz Vichi, Ione Andrade Loureiro

Resumo


A higienização das mãos é, uma das práticas de maior relevância na assistência à saúde, obtendo-se um peso significativo no que se diz respeito a prevenção de infecções adquiridas no ambiente hospitalar, estimativas apontam que, 1.7 milhões de infecções estejam associados a cuidados em saúde. Do quantitativo acima, aproximadamente 100.000 mortes estão relacionadas a infecções cruzadas (Health, in Brasil 2007), sendo assim, faz-se importante a conscientização dos profissionais acerca da correta higienização das mãos, tendo em vista que esta prática diminui consideravelmente o índice de infecções. As recomendações da Organização Mundial de Saúde (OMS) para a higienização das mãos são endossadas no Brasil pela Agência Nacional de Vigilância Sanitária (ANVISA), que indicam a utilização de água e sabonete líquido, com a finalidade de remoção de sujidades e microrganismos que colonizam as camadas superficiais da pele, o que preveni e reduz as infecções causadas pelas transmissões cruzadas, sendo esse procedimentouma medida individual, singela e de baixo custo. 


Texto completo:

PDF

Apontamentos

  • Não há apontamentos.