MICRORGANISMOS MAIS FREQUENTES E ANTIMICROBIANOS UTILIZADOS EM PACIENTES INTERNADOS EM UNIDADES DE TERAPIA INTENSIVA

Loane de Sá Dantas, Ariane Gomes dos Santos

Resumo


O objetivo do estudo foi levantar os microrganismos mais frequentes nas infecções e os antimicrobianos mais utilizados no tratamento de pacientes internados em Unidade de Terapia Intensiva (UTI), bem como os mecanismos de resistência microbiana.Trata-se de uma revisão integrativa da literatura que teve como percurso metodológico a busca de informações nas bases de dados do Scientific Eletronic Library Online (SCIELO) e Literatura Latino-Americana e do Caribe em Ciências de Saúde (LILACS). Os artigos pesquisados compreenderam publicações entre os anos de 2006 e 2014, em língua portuguesa e inglesa. Foram selecionados 21 artigos com os quais se realizou leituras críticas e o levantamento dos dados a serem trabalhados. Segundo vários autores, a infecção hospitalar é mais séria na UTI. As bactérias Pseudomonasaeruginosae Staphylococcus aureus foram as mais citadas como causadoras de patologias em UTIs. Quanto aos antibióticos mais utilizados foram citados as cefalosporinas, os carbapenêmicos e a vancomicina. Dentre os antimicrobianos com os quais as bactérias se mostraram mais resistentes destacam-se as cefalosporinas e o imipenem, o que evidencia que a variedade de microrganismos, cada vez mais, resistentes aos antimicrobianos disponíveis é devido ao seu uso inadequado, seja por erro na escolha ou nas práticas de manipulação e administração desses fármacos. Observou-se, ainda, um equilíbriono número de estudos voltados ao uso de antimicrobianos em UTIs, bem como o aumentodas preocupações governamentais sobre uso desses medicamentos. 


Texto completo:

PDF

Apontamentos

  • Não há apontamentos.