A INFLUÊNCIA DO BULLYING NOS ASPECTOS PSICOSSOCIAIS DA CRIANÇA COM DISPLASIA ECTODÉRMICA E O CONHECIMENTO DE SEUS RESPONSÁVEIS E PROFESSORES A RESPEITO DA DOENÇA: UM OLHAR DE ENFERMAGEM

Eduardo Gomes Cardozo, Ana Paula Gomes de Oliveira, Bruna Moreira de Almeida, Daniela Lira de Lima Coe da Silva, Alan Messala de Aguiar Britto, Leila Chevitarese

Resumo


Bullying são práticas violentas realizadas na infância a fim de subjugar alguém mais fraco. Na escola ele pode trazer, dentre outros problemas, déficit no aprendizado. Assim a intervenção do professor, a participação dos familiares e a orientação de profissionais da saúde neste ambiente devem primar por prevenir este problema. A displasia ectodérmica é uma doenças genética que acomete pele, pelos, unhas e dentes, e leva a mudanças no fenótipo do portador, tornando-o um alvo potencial de bullying. O objetivo deste trabalho foi identificar o bullying na vida de uma criança com displasia ectodérmica e investigar o conhecimento de professores e pais sobre a doença. Também discutimos o papel da enfermagem na saúde do escolar. Pesquisa quanti-qualitativa, descritiva, exploratória que utilizou questionários para 1 criança com a displasia ectodérmica, para seu responsável e para 14 professores. Identificamos que a criança já foi vítima de bullying, porém isto não a afetou na escola; a responsável conhece a doença e sabe de um episódio em que a criança sofreu violência na escola, mas não percebeu alteração no desenvolvimento escolar do seu filho; os professores, em geral, desconhecem a displasia ectodérmica e não perceberam prejuízo no convívio com outras crianças. A escola é um campo de inserção para o enfermeiro e acreditamos que ele tenha um papel educativo na promoção e prevenção à saúde e no combate ao bullying. Sugerimos que ele utilize a Teoria do Autocuidado de Dorothea Orem nas escolas.


Texto completo:

PDF

Apontamentos

  • Não há apontamentos.