PARADIGMA DA CÁRIE DENTÁRIA: ETIOLOGIA E TRATAMENTOS PREVENTIVOS E RESTAURADORES MINIMAMENTE INVASIVOS

Mônica Pestana Gomes

Resumo


 

Resumo - Embora os fatores etiológicos da cárie dentária sejam conhecidos há anos, a redução no número de dentes cariados e perdidos ainda permanece como um desafio. O objetivo desta revisão é realizar uma atualização dos fatores etiológicos dessa disbiose, além de abordar os tratamentos preventivos e restauradores minimamente invasivos, baseados em evidências científicas. A literatura relevante foi obtida pesquisando-se nos bancos de dados: MEDLINE (EBSCO), ProQuest, Cochrane Library (Wiley) e PubMed. Os termos utilizados isoladamente ou em combinação foram: cáries dentárias, microbiologia, Streptococcus mutans, fatores de risco à cárie e tratamentos minimamente invasivos. Foram considerados estudos publicados no idioma inglês, a partir do ano 2000 até o ano vigente. Inicialmente 250 artigos pertinentes foram encontrados, no entanto, 94 artigos foram selecionados por apresentarem maior relevância ao tema pesquisado. Consideraram-se artigos de revisão, ensaios clínicos randomizados e revisões sistemáticas de estratégias para os tratamentos de lesões de cáries não cavitadas e cavitadas, em crianças e adultos. Verificamos como resultados que o fluoreto e a água de abastecimento são as alternativas preventivas mais utilizadas. Os selantes são recomendados para lesões cariosas não cavitadas. Nas superfícies proximais, a indicação de infiltração de selantes tem evidência moderada. Em lesões de cáries profundas, a remoção gradual ou seletiva de dentina tem resultados promissores. A técnica de restauração atraumática para restauração de lesões cavitadas apresenta fortes evidências de sucesso. Portanto, recomenda-se a seleção de intervenções que ofereçam o melhor equilíbrio entre eficácia, preservação do órgão dentário e recursos financeiros, tanto a nível público quanto privado.


Texto completo:

PDF

Apontamentos

  • Não há apontamentos.