ENSINO DE QUÍMICA E JUSTIÇA AMBIENTAL: UM ESTUDO QUALITATIVO EM TRÊS ESCOLAS DO ENTORNO DA REFINARIA DUQUE DE CAXIAS

Marcia de Souza Olivieri, Cleonice Puggian, Wilma Clemente de Lima Pinto

Resumo


Este trabalho explorou como o refino do petróleo e seus impactos socioambientais são abordados no ensino de ciências de três escolas localizadas no entorno da Refinaria Duque de Caxias (REDUC), situada na Baixada Fluminense. Trata-se de uma investigação qualitativa de tipo exploratória, realizada com alunos do nono ano do ensino fundamental e professores de ciências, no período de agosto de 2011 a março de 2013. Dados foram coletados através de observação, entrevistas com nove docentes de ciências, questionários e três grupos focais. O referencial teórico apoiou-se na literatura sobre justiça ambiental, educação ambiental crítica, ciência-tecnologia-sociedade-ambiente (CTSA) e química do petróleo. A noção de justiça ambiental implica o direito a um ambiente sadio, seguro e produtivo para todos, pelo qual o meio ambiente é considerado em suas perspectivas ecológicas, sociais, físicas, econômicas, políticas e estéticas. Resultados indicaram que o ensino de química nas três escolas limitava-se à abordagem do conteúdo básico sugerido pelos programas e livros didáticos. Aspectos relativos ao refino do petróleo e seus impactos eram discutidos informalmente, como iniciativa pessoal de alguns professores. Os participantes também declararam que a Refinaria Duque de Caxias não estava desenvolvendo projetos pedagógicos em parceria com escolas no período da pesquisa. O estudo sugere que escolas localizadas no entorno de grandes empreendimentos ligados à indústria do petróleo necessitam de recursos didáticos e orientações curriculares específicas para a promoção da cidadania e da justiça ambiental.

Texto completo:

PDF

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


ISSN: 2238-2380

 

Indexadores:

Latindex,  Diadorim, Google AcadêmicoSumarios.OrgCapes .periodicos.

 

Anti-plágio