AS POTENCIALIDADES DE VISITAS A MUSEUS NA FORMAÇÃO INICIAL DOCENTE EM QUÍMICA

Maryna Bringmann, Ana Paula do Santos Oliveira, Aline Kundlatsch, Camila Silveira

Resumo


Considerando que a formação profissional não ocorre somente nos cursos de Licenciatura, tampouco se inicia ou se encerra nesse ambiente, a presente pesquisa objetiva analisar as potencialidades de visitas a Museus na formação inicial docente em Química desenvolvidas no contexto de um Subprojeto do PIBID de uma universidade pública localizada em Curitiba/PR. A investigação é caracterizada como qualitativa e adota princípios do estudo de caso etnográfico, tendo como foco as visitas a cinco Museus realizadas no período de março de 2017 a março de 2018. Os dados foram constituídos a partir de entrevistas semiestruturadas individuais com licenciandos em Química participantes do programa. Para a Análise foram utilizados elementos e princípios da Análise de Conteúdo, em que as categorias foram definidas a priori a partir dos saberes docentes da formação profissional, disciplinares, curriculares e experienciais. Os resultados apontaram que as visitas aos Museus são promissoras para a formação inicial de professores de Química, possibilitado uma formação inovadora e crítica, e contribuindo na edificação dos saberes docentes em suas quatro perspectivas. Além disso, a pesquisa traz implicações para o Ensino de Química e para a formação de professores, no sentido de mostrar as possíveis articulações da Química com Museus de diferentes temáticas.

 


Palavras-chave


Educação Não Formal; Ensino de Química; Formação de professores; PIBID; Saberes Docentes.

Texto completo:

PDF e5758

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


ISSN: 2238-2380

 

Indexadores:

Latindex,  Diadorim, Google AcadêmicoSumarios.OrgCapes .periodicos.

 

Anti-plágio