Utopia para quem?O desenvolvimento da literatura de utopia feminina

Alexander Meireles da Silva

Resumo


A literatura de utopia, exemplificada por obras como A República (367 a.C), de Platão e Utopia (1516), de Thomas More, se alicerça sobre um discurso racionalista patriarcal que subestima o papel da mulher enquanto ser social. A contestação dessa ideologia nos anos 60 por parte de escritoras feministas revelou utopias literárias femininas que, desde o século XVII, vêm criticando a representação da mulher nas sociedades em que elas se inserem. Visando discutir tal crítica, este artigo irá analisar O Mundo Resplandecente (1666), de Margaret Cavendish, Herland (1915), de Charlotte Perkins Gilman e Swastika Night (1937), de Katharine Burdekin. Tais obras são elementos chaves para se entender tanto a evolução da literatura de utopia quanto o próprio papel da mulher na sociedade.

Palavras-chave: Literatura Fantástica – Literatura de utopia – Feminismo.


Texto completo:

Sem título

Apontamentos

  • Não há apontamentos.