ANÁLISE SEMIÓTICA: CAMPANHA PUBLICITÁRIA DO MINISTÉRIO DA SAÚDE NO COMBATE À DENGUE.

Ricardo Santos David

Resumo


RESUMO:

O presente trabalho tem como objetivo analisar um cartaz do Programa Nacional de Combate à Dengue do Ministério da Saúde do Governo Federal Brasileiro, sob a perspectiva da Teoria Semiótica Francesa. Semiótica Discursiva, a produção e a interpretação do sentido são simuladas como um percurso dotado de três estratos de significação diferentes. No percurso da interpretação, parte-se da manifestação (isto é, do modo como uma dada substância realiza certo conteúdo) para chegar-se ao primeiro nível de organização do sentido: o nível discursivo. Em seguida, simplificando e abstraindo o discurso por um processo de “enxugamento” gradativo do sentido, em que algumas propriedades semânticas são desprezadas em proveito de outras, consideradas mais gerais, atinge-se o nível narrativo. Insistindo neste processo de abstração e simplificação do sentido, chega-se ao nível fundamental, onde se encontram as estruturas elementares de significação. Assim procedendo, obtém-se um conjunto de categorias semânticas que estruturam o sentido de um dado texto em seus diferentes patamares de organização. A responsabilização da população pelos cuidados com a prevenção da dengue e a atribuição do mosquito como vilão são também argumentos encontrados nos cartazes analisados. Por fim, há cartazes que recorrem à ideia nacionalista, patriota, a fim de comover a população para a prevenção da doença. Analisamos as imagens e seus textos dos cartazes de prevenção à dengue, pela teoria semiótica, ou seja, os produtos elaborados e utilizados nas ações informativas e educativas do Ministério da Saúde do Brasil.

Palavras-chave: Semiótica Francesa; efeitos de sentido; gênero publicitário; dengue. 


Palavras-chave


Semiótica Francesa; efeitos de sentido; gênero publicitário; dengue.

Texto completo:

PDF

Apontamentos

  • Não há apontamentos.