RUÍNA E DECADÊNCIA EM LÚCIO CARDOSO E NELSON RODRIGUES

André Dias, Frederico van Erven Cabala

Resumo


Neste trabalho, procuramos realizar uma análise comparativa entre os universos ficcionais dos escritores Lúcio Cardoso e Nelson Rodrigues. Iniciamos o percurso com as declarações ácidas e tentativas de distanciamentos que os autores buscaram manter entre si. Em seguida, a partir de uma leitura cruzada entre o romance Crônica da casa assassinada (1959), de Lúcio Cardoso, e o texto dramatúrgico Toda nudez será castigada (1965), de Nelson Rodrigues, vislumbramos possíveis pontos de contato entre os mundos narrados. Inicialmente, destacamos de que maneira a construção estrutural das duas obras apontam, de modos distintos, para o mesmo vetor da desagregação do núcleo familiar, por meio do confronto de valores da ocultação e desvelamento de desejos das personagens. Em seguida, registramos de que maneira os ambientes tanto do romance como da peça se constroem a partir da convivência de uma polifonia ou bivocalidade no nível formal em contraste com a situação de incomunicabilidade por que passam os personagens. Como último movimento deste artigo, sugerimos que, apesar de apontarem para espacialidades diferentes — a derrocada da esfera rural, no romance, e a modernidade urbana, na peça — os textos podem se enriquecer se lidos em complementaridade.

Palavras-chave


Lúcio Cardoso; Nelson Rodrigues; Estética da decadência

Texto completo:

PDF

Apontamentos

  • Não há apontamentos.