O palco do livro e a tradução dramática

Hugo Simões

Resumo


Partindo da tradução da peça “Immanuel Kant”, do escritor e dramaturgo austríaco Thomas Bernhard (1931-1989), propõe-se uma reflexão crítica acerca da tradução de textos dramáticos. A pergunta fundamental que move este artigo é a seguinte: o que ocorre com uma peça quando traduzida em livro? O livro enquanto repositório de um texto performático é delineado aqui como possibilidade de diálogo entre dramaturgo, tradutor e companhias de teatro, uma vez que pode funcionar de forma não estática como aparato crítico para a variedade de montagens que uma peça guarda em seu devir.

Palavras-chave


Tradução; Literatura Dramática; Thomas Bernhard

Texto completo:

PDF

Apontamentos

  • Não há apontamentos.