AVALIAÇÃO DA AÇÃO DOS CHÁS DE Origanum vulgare EM CULTURAS ISOLADAS DE Candida albicans.

Marta Luiza Souza, Fabiano de Jesus Santos, Sergian Vianna Cardozo

Resumo


De acordo com a ANVISA, 2010 chá é um produto constituído de uma ou mais partes de espécie(s) vegetal(is) inteira(s), fragmentada(s) ou moída(s), com ou sem fermentação, tostada(s) ou não, constantes de Regulamento Técnico de Espécies Vegetais para o Preparo de Chás. O conhecimento sobre plantas medicinais constitui, em diversas comunidades, o único recurso terapêutico. Fatores que alteram o equilíbrio parasita-hospedeiro propiciam a instalação da micose por Candida podendo ocorrer quadros mucocutâneos, cutâneos, e sistêmicos. Objetivo deste trabalho foi realizar uma análise comparativa da eficácia dos chás em forma de infusão (a saber, erva desidratada e erva fresca) de Origanum vulgare frente a isolados de Candida albicans. As cepas de Candida sp. foram semeadas em meio de ágar Mueller-Hinton e submetidas à concentrações de0,025 g/ml, 0,05 g/ml e  0,075 g/ml de planta fresca/desidratada Dentre as concentrações de chás realizadas, a única efetiva contra Candida foi o chá da erva desidratada. O halo de inibição formado apresentou o valor de 15mm na concentração de 0,075g/ml feito em duplicata. A partir deste estudo foi possível evidenciar que o chá de orégano obtido por infusão, sob a forma desidratada em concentração de 0,075 g/ml  foi efetiva na inibição de isolados de Candida formando um halo de inibição com diâmetro de 15mm, sendo promissor seu uso como antifúngico no tratamento de Candidíase.

Palavras-chave: chá, Origanum vulgare, Candida albicans e Micologia

Apontamentos

  • Não há apontamentos.