Métodos Contraceptivos

Maximino Ferreira Gomes, Michelle Leonardo da Silva, Carine Garcia Quinet

Resumo


A gravidez na adolescência é definida pela Organização Mundial da Saúde como aquela que ocorre entre os dez e os vinte anos incompletos. Ela tem sido qualificada com “precoce” e “indesejada” pelo desvio ou transtorno que representa para a vida do jovem. Embora não seja um fenômeno ressente, no Brasil, as ocorrências de gravidez na adolescência têm gerado discussões e preocupação no âmbito da saúde pública. Visto que a associação com o uso inadequado de métodos contraceptivos é direta, torna-se essencial avaliar o conhecimento de adolescentes sobre tais métodos para intervir adequadamente. Foram avaliados o conhecimento, atitude e prática em relação à pílula e ao preservativo entre adolescentes. Este estudo realizou este levantamento e avaliou através de um questionário construído para medir tal conhecimento de estudantes do ensino médio no colégio Estadual Álvaro Negromonte no bairro de Jardim Gramacho na cidade de Duque de Caxias. Foi encontrada falta de conhecimento adequado sobre os métodos contraceptivos (como são, uso, eficácia, indicação), independente do sexo, por isso precisam modificar algumas de suas práticas para uma anticoncepção eficaz. A sexualidade, presente em toda a trajetória de vida do ser humano busca sua afirmação na adolescência. No entanto, o desenvolvimento da sexualidade nem sempre é acompanhado de um amadurecimento afetivo, o que torna a adolescência uma etapa de extrema vulnerabilidade a riscos como a gravidez indesejada e as doenças sexualmente transmissíveis (DSTs). Estudos mostram que, cada vez mais, o início da atividade sexual dá-se na adolescência. Palavras-chaves: contracepção, preservativos, prevenção, anticoncepcionais

Apontamentos

  • Não há apontamentos.