ESTUDO DO CRESCIMETO RADIAL DE Callophillum brasiliense CAMBESS EM UM REMANESCENTE DE FLORESTA ATLÂNTICA DO ESTADO DO RIO DE JANEIRO.

Taciane Peixoto da Silva, João Rodrigues Miguel

Resumo


A floresta Atlântica possui cerca de 70 milhões de anos, é composta de diferentes fitofisionomias. Atualmente é constituída de apenas 7% de sua extensão original. No entanto há uma diversidade considerável e para compreendermos melhor a interação entre estes indivíduos e seu habitat, temos a ecologia, já para entendermos a variação intra-específica do lenho temos a anatomia ecológica que nos possibilita compreender tal estrutura. Este estudo com Callophyllum brasiliense Cambess. nos permite conhecer melhor a espécie e saber que quando imposta em diferentes ambientes como alagado, seco e temporariamente alagado há variação no crescimento radial de sua madeira, para isso foram utilizadas técnicas laboratoriais para analisar minuciosamente o crescimento radial da madeira em estudo, nos ambientes destacados e nas quatro estações do ano. Através deste estudo o conhecimento sobre Callophyllum brasiliense será ampliado, tornando possível a utilização de sua madeira em diversas industrias, substituindo o uso de espécies proibidas e no manejo de reestruturação de habitats naturais. PALAVRAS-CHAVE: Callophyllum brasiliense Cambess, crescimento radial, variação intra-específica.

Apontamentos

  • Não há apontamentos.