UMA VISÃO CALEIDOSCÓPICA E/OU EM TEIA DA ABORDAGEM COMPLEXA DE ENSINO E DE APRENDIZAGEM DE LÍNGUAS (ACEAL)

Cláudio Fernandes Baranhuke Júnior, Elaine Ferreira do Vale Borges

Resumo


Partindo do entendimento de que a abordagem complexa de ensino e de aprendizagem de línguas (ACEAL) (BORGES e PAIVA, 2011; BORGES, 2015) é, ela mesma, um sistema adaptativo complexo (SAC) (com vários agentes interligados em sua constituição e emergência), este trabalho visa (a partir da metáfora do caleidoscópio) refletir sobre uma possível teia de relações teóricas entre os agentes explícitos (linguagem e aquisição de segunda língua (ASL) como SAC, natureza multifacetada do ensino e aprendizagem, planejamento semiótico-ecológico, foco no desempenho individual do aluno, linguagem materializada nas práticas sociais e professor como dinamizador); e os subagentes implícitos (concepções de linguagem e de ensino e aprendizagem, teorias de ASL, tipos de planejamentos, competências e habilidades da linguagem e papéis do professor) a essa abordagem. Como resultado, produzimos um mapa conceitual de uma provável constituição e inter-relação dos agentes e subagentes da ACEAL.

Palavras-chave


Abordagem de Ensino de Língua. Sistema Adaptativo Complexo. Mapa Conceitual.

Texto completo:

PDF

Apontamentos

  • Não há apontamentos.