A FORMAÇÃO CONTINUADA DE PROFESSORES E A TROCA ENTRE PARES EM UMA ESCOLA DE TERRITÓRIO VULNERÁVEL

Bryann Breches

Resumo


Este artigo apresenta parte de dissertação de mestrado defendida junto à Universidade Cidade de São Paulo (Unicid) “Formação continuada em uma escola de território vulnerável do município de São Paulo”, que diz respeito à troca de pares enquanto estratégia de formação continuada de professores.  Esta pesquisa ocorreu no âmbito de um estudo maior que está em andamento sob a coordenação do Centro de Estudo e Pesquisas em Educação, Cultura e Ação Comunitária (Cenpec) e da Universidade Federal de São Paulo (Unifesp). Para a consecução da dissertação, da qual origina este artigo, foi realizada a análise de dados de entrevistas de professoras de uma escola situada em território de alta vulnerabilidade no município de São Paulo. A análise se deu à luz de categorias advindas de referências que tratam de formação continuada de professores. Esta pesquisa é de natureza qualitativa e fez uso da análise de conteúdo, conforme proposta de Bardin (1977) para a elaboração de categorias provenientes da literatura e para a análise dos dados das entrevistas. Conclui-se que, na escola cujos professores entrevistados estão alocados, há indícios de situações de trabalho que dificultam a participação dos professores, na formação continuada organizada pela escola, momentos considerados mais formais e sistemáticos de formação; e que os professores, sem possibilidade de participação dos momentos sistemáticos de trocas, valorizam sobremaneira o que nominamos de troca informal entre pares, que ocorre nos corredores, na sala dos professores, dentre outros momentos conjuntos.


Texto completo:

PDF

Apontamentos